terça-feira, 11 de abril de 2017

Resenha: Razão e Sensibilidade - Jane Austen - Editora Martin Claret


Razão e Sensibilidade
Autora: Jane Austen
Editora: Martin Claret
Categoria: Romance
ISBN: 9788572328746
453 Páginas
1º Edição – 1944


Sinopse

Este foi o primeiro romance de Jane Austen. Publicado em 1811, logo recebeu reconhecimento do público. Razão e Sensibilidade é um livro em que as irmãs Elinor e Marianne representam uma dualidade, de maneira alternada, ao longo da narrativa. As expectativas vividas pelas duas com a perda, o amor e a esperança, nos aponta para um excelente panorama da vida das mulheres de sua época. As irmãs vivem em uma sociedade rígida e ambas tentam sobreviver a esse mundo cheio de regras e injustiças. Tanto a sensível e sensata Elinor como a romântica e impetuosa Marianne se veem fadadas a aceitar um destino infeliz por não possuírem fortuna nem influências, obrigadas a viver em um mundo dominado por dinheiro e interesse. As duas personagens passam por um processo intenso de aprendizagem, mesclando a razão com os sentimentos em busca por um final feliz.






Posso afirmar sem dúvidas que este é um dos meus romances preferidos. Minha história com este livro começa quando eu assisti “Orgulho e Preconceito” em uma aula de artes na 8ª série; fiquei apaixonado pelo filme e fui pesquisar mais sobre ele, e descobri que era uma adaptação de um livro de Jane Austen. Após desbravar suas obras, passei a procura-las para ler, e para minha alegria, minha professora de artes me emprestou Razão e Sensibilidade. Desde então, já o li três vezes, e minha paixão por ele permanece.

Em primeiro lugar, é preciso analisar a maneira como Austen escreve. Ela conduz a história com poucas descrições, apostando em diálogos longos, porém incrivelmente diretos e ágeis. A condução psicológica das situações chama a atenção, especialmente na apresentação dos personagens. Porém, a marca mais interessante dela é a ironia, repleta em toda a obra. Todas estas características juntas tornam o combo bastante atrativo.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Resenha: Quando a Bela domou a Fera - Eloisa James - Editora Arqueiro

Resultado de imagem para quando a bela domou a fera

Quando a Bela domou a Fera
Autora: Eloisa James
Editora: Arqueiro
Categoria: Romance de Época
ISBN: 9788580416800
320 Páginas
1ª Edição - 2017



Sinopse

Eleito um dos dez melhores romances de 2011 pelo Library Journal, Quando a Bela domou a Fera é uma deliciosa releitura de um dos contos de fadas mais adorados de todos os tempos. Piers Yelverton, o conde de Marchant, vive em um castelo no País de Gales, onde seu temperamento irascível acaba ferindo todos os que cruzam seu caminho. Além disso, segundo as más línguas, o defeito que ele tem na perna o deixou imune aos encantos de qualquer mulher.

Mas Linnet não é qualquer mulher. É uma das moças mais adoráveis que já circularam pelos salões de Londres. Seu charme e sua inteligência já fizeram com que até mesmo um príncipe caísse a seus pés. Após ver seu nome envolvido em um escândalo da realeza, ela definitivamente precisa de um marido e, ao conhecer Piers, prevê que ele se apaixonará perdidamente em apenas duas semanas.

No entanto, Linnet não faz ideia do perigo que seu coração corre. Afinal, o homem a quem ela o está entregando talvez nunca seja capaz de corresponder a seus sentimentos. Que preço ela estará disposta a pagar para domar o coração frio e selvagem do conde? E Piers, por sua vez, será capaz de abrir mão de suas convicções mais profundas pela mulher mais maravilhosa que já conheceu?



"Nada me faz correr para uma livraria mais rápido do que um romance novo de Eloisa James" - Julia Quinn



Primeiro livro que leio da Eloisa James e tenho uma pergunta: cadê o próximo????

Ahhh... apesar de a música ser da adaptação da Disney, ela combina perfeitamente com Linnet e Piers - leia a resenha ouvindo a música, com certeza seu coração vai bater mais forte:



Envolvente e apaixonante, a história de Piers e Linnet prendem o leitor do início ao fim, e deixa um gostinho de quero mais, um sentimento de que faltaram páginas no livro e que ainda tinha muita história a ser contada.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Review: Série: Os 13 Porquês - Netflix


                                                                  
Os 13 Porquês
Formato: Série
Gênero: Drama/Mistério
Número de Episódios: 13
Duração: 49-61 minutos
Baseado em: Os 13 Porquês de Jay Asher
Distribuída por: Netflix
Lançamento: 31/03/2017

Sinopse

Thirteen Reasons Why é conarrada por Clay Jensen, um rapaz que ao regressar um dia da escola, encontra na porta de sua casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker, uma garota que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.





Parece que a história de Hannah Baker simplesmente não quer me deixar em paz e hoje resolvi trazer para vocês um pouco da minha visão a respeito da adaptação do livro “Os 13 Porquês” (confira a resenha do livro aqui) que teve sua estreia na ultima sexta-feira, 31/03/2017, no serviço de streaming Netflix. Sem mais delongas, vamos à resenha!




Pra começar, quero deixar claro que a minha história com “Os 13 Porquês” começou há alguns anos quando eu soube do livro e tive muita vontade de lê-lo, porém o “depois” parecia muito mais fácil e fui sempre deixando para ler no futuro (um futuro que demorou muito a chegar). Eis que saiu o primeiro trailer da adaptação e após assisti-lo me senti na obrigação de ler o livro para poder ver a série quando saísse. Assim, após alguns meses de enrolação finalmente consegui ler a obra e me apaixonei (como deu pra notar em uma das últimas resenhas que fiz), daí em diante minhas expectativas para a série mantiveram-se lá no alto e bem... Elas foram mais do que supridas.

 
Copyright 2009 Ilusões Noturnas