segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Resenha: Diga sem ao Marquês - Tessa Dare - Editora Gutenberg



Diga sim ao Marquês
Autora: Tessa Dare
Editora: Gutenberg
Categoria: Romance de Época
ISBN: 9788582353691
288 Páginas
1ª Edição - 2016


Sinopse

VOSSA EXCELÊNCIA ESTÁ CONVIDADA A COMPARECER AO ROMÂNTICO CASTELOTWILL PARA CELEBRAR O CASAMENTO DA SENHORITA CLIO WHITMORE E… E…?

Aos 17 anos, Clio Whitmore tornou-se noiva de Piers Brandon, o elegante e refinado Marquês de Granville e um dos mais promissores diplomatas da Inglaterra. Era um sonho se tornando realidade! Ou melhor, um sonho que algum dia talvez se tornasse realidade…

Oito anos depois, ainda esperando o noivo marcar a data do casamento, Clio já tinha herdado um castelo, tinha amadurecido e não estava mais disposta a ser a piada da cidade. Basta! Ela estava decidida a romper o noivado.

Bom… Isso se Rafe Brandon, um lutador implacável e irmão mais novo de Piers, não conseguir impedi-la. Rafe, apesar de ser um dos canalhas mais notórios de Londres, prometeu ao irmão que cuidaria de tudo enquanto ele estivesse viajando a trabalho. Isso incluía não permitir que o Marquês perdesse a noiva. Por isso, está determinado a levar adiante os preparativos para o casamento, nem que ele mesmo tenha que planejar e organizar tudo.

Mas como um calejado lutador poderia convencer uma noiva desiludida a se casar? Simples: mostrando-lhe como pode ser apaixonante e divertido organizar um casamento. Assim, Rafe e Clio fazem um acordo: ele terá uma semana para convencê-la a dizer “sim” ao Marquês. Caso contrário, terá que assinar a dissolução do noivado em nome do irmão.

Agora, Rafe precisa concentrar seus punhos e sua força em flores, bolos, música, vestidos e decorações para convencer Clio de que um casamento sem amor é a escolha certa a se fazer. Mas, acima de tudo, ele precisa convencer a si mesmo de que não é ele que vai beijar aquela noiva.




Gente, impossível não se apaixonar pelo livro e pelos personagens - TODOS eles, do treinador que se disfarça de aristocrata, do cunhado sem noção, ao buldogue farsante (quem leu o livro entenderá hahahaha).

Os personagens muito bem escritos, a história leve e deliciosa, nada de enrolações, o casal lindo.

O que mais amei no livro foi o fato de os personagens não ficarem enrolando. A sinceridade torna o caminho mais curto, pode ser que ocasiona em outros problemas, mas nada como a sinceridade imperar em um relacionamento para que as coisas ocorram de forma mais verdadeira, leve e sem deixar o outro pensando bobagens. E Clio e Rafe fizeram isso de uma forma única - raros são os livros em que vi isso acontecendo, normalmente os personagens escondem seus sentimentos ou ficam esperando que o outro fale primeiro. 

Clio e Rafe são a prova viva de que os semelhantes se atraem e que dá certo. Tudo bem que para você ver a semelhança só depois que convive com eles de verdade. Cada um tem seus medos/problemas a superar, suas batalhas a vencer - cada um tem que se encontrar para serem felizes de verdade, mas ambos precisam da ajuda do outro para realmente estarem completos.


"Os dois sempre se estranharam, desde quando eram crianças. Ela era o retrato da 'rosa inglesa', com o cabelo claro, os olhos azuis e as feições delicadas. Bem-educada, acolhedora e refinada. Além de irritante de tão doce. Resumindo, Clio Whitmore era a encarnação da sociedade civilizada. Tudo que Rafe sempre desdenhou. Tudo que ele tinha jurado arruinar... E devia ser isso que tornava tão tentadora a ideia de arruiná-la." - P. 17


São tantas coisas que amei no livro que vou listá-las:
- os personagens
- a leveza
- o ambiente
- o castelo
- o amor
- o encontro de almas
- as risadas que dei
- a escrita
- a forma como a história se desenrolou
- até a espera de 8 anos
- enfim, TUDO!

Como todo mundo já pode perceber, eu mais que indico o livro. É uma leitura obrigatória para quem gosta de romance de época, e mais ainda para quem gosta de um livro lindo e leve, mas com uma pitada de sensualidade.

Enfim... vocês PRECISAM ler!!!
Ahhh... não esquece de comentar abaixo o que vocês acharam do livro e da resenha!!!

Beijos e até a próxima!!!




quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Resenha: Todo Dia - David Levithan - Editora Galera Record


Todo dia
Autor: David Levithan
Editora: Galera Record
Categoria: Ficção Juvenil
ISBN: 9788501099518
Páginas: 280
1ª Edição: 2012


Sinopse:

Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.




Olá pessoal, tudo bom? Então, a resenha de hoje é sobre um livro que significou bastante para mim e me ensinou grandes lições sobre a vida e os costumes que nós temos. Sem mais demoras, vamos à resenha!

A história de “todo dia” tem inicio ao sermos apresentados ao protagonista que se intitula como A (sim, exatamente como a vogal. Simplesmente A), que define a si mesmo como um ser sem gênero e livre de todo e qualquer julgamento. Sendo assim, desde que veio ao mundo, A tem experimentado as mais diferentes situações como um hospedeiro, acordando todos os dias no corpo de uma nova pessoa na faixa etária em que se encontra. Então, ao começar o livro somos introduzidos a um A de aproximadamente 16 anos no corpo de um adolescente chamado Justin e esse é o ponto de partida para todas as futuras aventuras do personagem, que até então já estava acostumado a viver no comodismo de não modificar ou se apegar a vida dos seus hospedes. 




Assim, é ao conhecer a namorada de Justin que A passa a questionar o motivo de sua existência e a maneira como é tão diferente dos outros e parece ser o único assim. Diante disso, após proporcionar a ela o dia perfeito, o hospedeiro passa a querer ficar cada vez mais tempo com a garota e se perguntar o porquê de nunca permanecer num mesmo corpo por mais de um dia. Porém, com as dúvidas e questionamentos começam a surgir desejos até então aprisionados e o hospedeiro se vê cometendo atitudes cada vez mais perigosas para ir de encontro à garota e poder passar cada vez mais tempo com ela.

Nesse parâmetro, é numa dessas atitudes sem pensar racionalmente que A acaba perdendo a hora e deixando um dos seus hóspedes dentro do carro no acostamento de uma rodovia. Porém, o que ele não imaginava é que o garoto no dia seguinte se lembraria de quase tudo o que aconteceu enquanto esteve sendo hospedado por A e daí toda a história se desenrola com o hospedeiro querendo encontrar formas de permanecer com Rhiannon e a história do garoto que acreditava ter sido possuído se espalhando de maneira inacreditável.




Nesse sentido, A se encontra mergulhado numa trama cheia de reviravoltas, descobertas, dúvidas, na iminência do primeiro amor, na tentativa de entender o que é estar com alguém, na tentativa de entender o porquê de Rhiannon fazer o que faz, o porquê do garoto se lembrar do que aconteceu e diversas outras coisas. Desse modo, somos apresentados a uma trama cheia de acontecimentos e questionamentos sobre o comportamento da nossa sociedade e a maneira como ela vê as pessoas.

Dessa maneira, evidencia-se que a obra representa um reflexo da nossa sociedade seus pré-julgamentos e preconceitos nos trazendo a tona temas tão presentes no dia-a-dia, mas que não recebem o foco devido, tudo isso de maneira leve e envolvente ao passo que vamos nos aprofundando mais na trama desenvolvida entre os personagens. Isto é, “todo” dia é um livro totalmente indicado para quem deseja ler algo com uma história bem amarrada e que desperta reflexões e pensamentos sobre nossa maneira de agir com os outros de acordo com suas aparências e gostos. Enfim, uma obra essencial à leitura de qualquer um que deseja se livrar de vários de seus preconceitos.

Então é isso pessoal, espero que tenham gostado da resenha de hoje e tenham a oportunidade de ler este livro que me fez enxergar muita coisa de maneira diferente. Até a próxima! 







terça-feira, 16 de agosto de 2016

Resenha: Noite Sobre as Águas - Ken Follett - Editora Arqueiro




Noite Sobre as Águas
Autor: Ken Follett
Editora: Arqueiro
Categoria: Suspense
ISBN: 9788580415636
432 Páginas
1º Edição – 2016


Sinopse

Em 1939, com a guerra a acabar de ser declarada, um grupo de pessoas privilegiadas embarca no mais luxuoso avião de sempre, o Pan American Clipper, com destino a Nova Iorque: um aristocrata britânico, um cientista alemão, um assassino e a sua escolta, uma jovem em fuga do marido e um ladrão encantador, mas sem escrúpulos. Durante trinta horas, não há escapatória possível desse palácio voador. Sobre o Atlântico, a tensão vai crescendo até finalmente explodir num clímax dramático e perigoso.




 

É em meio a um dos conflitos bélicos mais trágicos da história humana que a trama do livro se desenvolve. Junto aos temores pelas futuras consequências da Segunda Guerra Mundial, os personagens possuem outra motivação para se distanciarem da Europa: os dramas pessoais vividos por cada um no passado. Ao se juntarem a bordo de um verdadeiro Titanic aéreo, eles irão viver uma experiência luxuosa e inesquecível.

O livro começa com a introdução de alguns dos personagens principais, com os outros aparecendo ao longo da história, juntamente com os motivos que os levaram a se distanciar de suas origens e buscar um novo destino nos Estados Unidos. A construção deles é muito bem feita, sem pontas soltas. É impossível não ficar curioso com Luther, emocionado com Diana, apaixonado por Margaret e se divertir com Harry. Estes, juntamente com os outros que viajam no avião, não imaginam que suas vidas serão mudadas pela força do passado e por um perigo iminente à bordo.

Esse foi o primeiro livro que li do autor Ken Follett, e posso dizer que fiquei bastante impressionado. Sua maneira de construir a narrativa é concisa e evolutiva, recheada de tensão nos momentos certos, e muitas descrições – por vezes exageradas, mas não a ponto de fazer o leitor se afastar da história. É interessante a forma como ele consegue preencher sua trama com conceitos e acontecimentos históricos – nazismo, totalitarismo, Segunda Guerra, além de uma curiosidade: o modelo do avião onde se passa a história realmente existiu!

Outro assunto tratado, embora com sutileza, é a força feminina. Personagens como Margaret e Diana são uma verdadeira afronta, dentro do contexto apresentado, ao que se espera de uma mulher no início do século XXI; elas buscam um novo destino onde serão as protagonistas de suas próprias vidas.

Assim, indico Noite Sobre as Águas não apenas para os apreciadores de suspense e fatos históricos, mas para todos aqueles que apreciam uma excelente história. Uma trama sobre mudanças de vida... Mesmo que não sejam por sua própria escolha.


Até a próxima resenha!



 
Copyright 2009 Ilusões Noturnas